Novidades

Vereador Hilton Coelho participa de ato no Nordeste de Amaralina, no Largo do Areal, contra matança da juventude negra

“Parem de nos matar”. Como desdobramento da audiência pública ocorrida na quarta-feira (27), realizou-se nesta sexta-feira (29) um ato público no Largo do Areal, Nordeste de Amaralina, contra as ações violentas da polícia militar que mataram sete jovens da comunidade. O vereador Hilton Coelho (PSOL) participou da atividade e também das visitas às famílias que foram diretamente afetadas pela operação policial ocorrida na semana passada.

“A Bahia precisa urgente de uma discussão profunda sobre que segurança pública queremos. Basta de extermínio da juventude, em especial a juventude negra, pobre e da periferia. A política atual do governador Rui Costa (PT) mostra-se ineficaz e pode ser caracterizada como genocida e violenta. Escolheu tratar a população pobre como inimiga e isso não aceitamos”, afirma Hilton Coelho.

Ele destaca sob a justificativa do combate ao tráfico de drogas, “a Polícia Militar tornou-se sinônimo de medo, violência e morte nas comunidades. Queremos uma profunda investigação do que ocorre no Nordeste de Amaralina e demais bairros periféricos. Em Salvador faltam creches, escolas municipais equipadas, postos de saúde que funcionem adequadamente, lazer para a juventude, espaço para práticas esportivas, a única coisa que não falta é a violência contra a população pobre. Até quando?”, questiona.

Hilton Coelho afirma que diversas outras atividades serão encaminhadas pela comunidade. “A sociedade não pode sentir-se acuada. A cidade pertence aos seus moradores. Não podemos aceitar a violência, venha de onde vier, como natural. Vamos continuar na luta por uma segurança pública cidadã, democrática e não violenta. Isso, sim, é possível. Basta de violência!”, conclui o legislador.

Freellas Comunicação